Empreendedoras.net

Negócios familiares: como funcionam, características e como gerir


Como funcionam os negócios familiares

Confira a matéria e descubra quais são os conceito de negócios familiares, saiba quais são as suas principais características. Além disso, saiba quais são os pontos fortes e fracos desse tipo de negócio familiar.

Quando o empreendedorismo se torna um caso de família, literal e figurativamente, as obrigações são automaticamente multiplicadas e o envolvimento de todos é naturalmente intensificado.

E com essas vantagens, há também os riscos de repassar um negócio construído através de gerações inteiras para herdeiros desmotivados.

O que é um negócio familiar?

Um negócio familiar é uma organização comercial na qual a tomada de decisão é influenciada por múltiplas gerações de uma família, relacionada ao casamento ou adoção, que tem tanto a capacidade de influenciar a visão do negócio quanto a vontade de usar essa capacidade de perseguir objetivos distintos. O tamanho da empresa não importa.

Uma empresa familiar é uma entidade cujo capital é de propriedade majoritária dos membros da mesma família.

Eles são estreitamente identificados com a empresa através de liderança ou propriedade. As empresas empreendedoras proprietárias não são consideradas empresas familiares por não terem a dimensão multigeracional e a influência familiar que criam a dinâmica e o relacionamento únicos dos negócios familiares.

Características das empresas familiares

A influência da família pode ser percebida através de diversas informações ou canais organizacionais. Por um lado, a família pode determinar decisivamente o destino da empresa por meio de direitos de voto, participação na gestão ou através dos órgãos fiscalizadores.

Por outro lado, a influência surge através da experiência de gerações que se acumularam na família proprietária. Além disso, muitos negócios familiares são caracterizados por uma cultura corporativa moldada pela família proprietária, que pode, no entanto, se abrir a influências externas em diferentes graus, até o domínio do conhecimento externo profissional.

As empresas familiares existem em todos os países orientados para o mercado. Na maioria desses países, representam a grande maioria das empresas.

A estreiteza dos campos de atuação de muitas pequenas empresas familiares não precisa ser uma desvantagem competitiva: muitas vezes compartilham o sistema de valores de seus clientes e fornecedores locais.

O sistema de valor como fator de sucesso dificilmente tem sido investigado até agora, embora seja um fator importante para explicar a sustentabilidade e longevidade tanto do negócio familiar individual quanto de todo o tipo de empresa. Embora o conceito de valores corporativos e gestão corporativa orientada ao valor seja, pelo menos teoricamente, aceito como fator de sucesso pela gestão corporativa, pouco se sabe sobre a natureza e contribuição das orientações de valor das empresas familiares para sua estabilidade e sustentabilidade.

Empreendedorismo familiar multigeracional

No empreendedorismo familiar multigeracional, a gestão bem-sucedida das grandes empresas pode exigir que o empreendedor tenha a formação e as habilidades adequadas, que são indispensáveis na geração fundadora. Nas gerações seguintes, mais cedo ou mais tarde, surge uma tensão entre os possíveis talentos dos herdeiros, seus interesses e os requisitos de gestão bem-sucedida e o mercado.

Os bens que pertencem à família, na maioria das empresas familiares, são difíceis de separar dos ativos que pertencem ao negócio.

Além disso, e em particular, a distribuição de ações entre diversos acionistas pode levar a problemas nas atividades empresariais, já que interesses e ideias conflitantes podem existir dentro do grupo de acionistas. É vantajoso controlar os descendentes de acordo com suas habilidades em um estágio inicial e apresentá-los à empresa.

Modelo mais antigo e comum de organização econômica

O negócio familiar é o modelo mais antigo e comum de organização econômica. A grande maioria das empresas em todo o mundo,  de lojas de esquina a organizações multinacionais listadas publicamente com centenas de milhares de funcionários, pode ser considerada uma empresa familiar.

A prevalência econômica e a importância desse tipo de negócio são muitas vezes subestimadas. Durante a maior parte do século XX, acadêmicos e economistas ficaram intrigados com um modelo mais novo e melhorado de grandes empresas de capital aberto, que funcionam de forma aparentemente racional e burocrática.

Empresas privadas ou familiares nem sempre são simples de estudar. Em muitos casos, não estão sujeitas a requisitos de relatórios financeiros e poucas informações são divulgadas sobre o desempenho financeiro. A propriedade pode ser distribuída através de trusts ou holdings, e os próprios membros da família podem não estar totalmente informados sobre a estrutura acionária de seu empreendimento.

Algumas das maiores empresas familiares do mundo

Algumas das maiores empresas familiares do mundo são:

  • Walmart (Estados Unidos),
  • Volkswagen Group (Alemanha),
  • Samsung Group (Coreia),
  • Tata Group (Índia).

Negócio familiar mais antigo do mundo

De acordo com o Wikipedia, o negócio familiar mais antigo do mundo é o Hoshi Ryokan Hotel, fundado em 717 na cidade de Komatsu. Até 2006, era Kongō Gumi,um construtor de templos que data de 578, que foi comprado pela Takamatsu Corporation.

Vantagens

Além de muitas histórias e conflitos, os negócios de família também são caracterizados por algumas vantagens. Estes incluem o planejamento de longo prazo, a reputação muitas vezes alta, a possível velocidade na implementação de decisões, bem como a atmosfera de trabalho muitas vezes positiva.

Além disso, grandes empresas familiares, em particular, são mais resistentes a flutuações repentinas na demanda do que outras empresas porque são mais avessas ao risco e não aproveitam todas as oportunidades de crescimento resultantes.

Apesar de diferentes crises financeiras e econômicas, as maiores empresas familiares brasileiras conseguiram sobreviver e até aumentar seu capital próprio. Isso significa que as empresas familiares no Brasil têm uma relação patrimonial significativamente maior em comparação com as empresas não familiares.

Desvantagens

Nas empresas familiares, o planejamento sucessório da gestão é muitas vezes problemático. Disputas familiares internas também podem ter um impacto negativo na gestão, especialmente se o grau de parentesco se tornar mais amplo na geração posterior e, portanto, a uniformidade estratégica for perdida.

Uma vez que a divulgação pública de números financeiros importantes e desenvolvimentos corporativos não é exigida para muitas empresas familiares, a consequente falta de transparência dificulta que potenciais investidores façam uma avaliação detalhada da empresa.

Outro problema é quando as posições-chave nas empresas familiares não são concedidas ao melhor candidato, mas a um membro da família que foi selecionado para este cargo apenas com base no parentesco. Tais nomeações podem ter um impacto negativo a longo prazo no sucesso da empresa.

O interesse de um membro da família pode não estar alinhado com outro membro da família. Por exemplo, um familiar que é dono pode querer vender o negócio para obter lucro, mas um familiar que é proprietário e também um gestor pode querer manter a empresa porque ela representa sua carreira e quer que seus filhos tenham a oportunidade de trabalhar na empresa.

Utilização do genograma nos negócios familiares

Um genograma é um organograma para a família. É uma árvore genealógica aprimorada que mostra não só eventos familiares como nascimentos e óbitos, mas também indica as relações próximas e conflituosas entre os indivíduos da família. É uma ferramenta útil para detectar padrões de relacionamento através de gerações.

Processos de planejamento

Todas as empresas precisam de planejamento, mas as famílias que trabalham juntas enfrentam a tarefa de planejamento adicional de equilibrar as demandas familiares e empresariais. Existem cinco questões críticas em que as necessidades da família e as demandas do negócio se sobrepõem, e exigem ações de planejamento paralelo para garantir que o sucesso dos negócios não crie um desastre familiar ou empresarial.

  1. Capital – como os recursos financeiros da empresa são alocados entre demandas diferentes e familiares?
  2. Controle – quem tem poder de decisão na família?
  3. Carreiras – como os indivíduos são selecionados para cargos de liderança sênior e governança na empresa ou na família?
  4. Conflito – como evitar que um conflito se torne um padrão de interação?
  5. Cultura – como os valores familiares e empresariais são sustentados e transmitidos aos proprietários, funcionários e familiares mais jovens?

Representação feminina nas empresas familiares

De acordo com um estudo publicado pelo ACI Institute e Board Leadership Center da KPMG no Brasil, as mulheres também possuem um papel significativo no que se refere à participação nos negócios familiares, existindo muitos cargos ocupados por mulheres da família. Atuantes, muitas estão nos conselhos de administração e ocupam cargos de diretoria.

Como funciona a sucessão

Parece haver dois fatores principais que afetam o desenvolvimento dos negócios familiares e o processo sucessório: o tamanho da família, em termos relativos o volume de negócios, e a adequação para liderar a organização, em termos de capacidade gerencial, técnica e de compromisso.

Potenciais sucessores que tiveram experiência profissional fora do negócio familiar podem decidir deixar a empresa para fundar um novo, com ou sem o apoio da família. Em vez disso, os sucessores tendem a ser caracterizados pela experiência profissional apenas dentro do negócio familiar. A formação de potenciais sucessores é uma questão crítica no processo sucessório porque afeta a doação de capacidades gerenciais da empresa.

Dicas para atingir o equilíbrio certo em um negócio familiar

Quaisquer que sejam os laços familiares, iniciar um negócio com um cônjuge, pais, irmãos, filhos ou outros membros da família apresenta desafios únicos além dos problemas usuais que uma startup enfrenta. Demos a isso uma grande reflexão pessoal e criamos dicas essenciais para atingir o equilíbrio certo ao iniciar um negócio familiar:

  • Estabeleça alguns limites
  • Estabeleça métodos de comunicação claros e regulares.
  • Divida papéis e responsabilidades.
  • Trate o negócio como um negócio.
  • Reconheça as vantagens de ter um negócio de família.
  • Trate os membros da família de forma justa.
  • Coloque todas as relações comerciais por escrito.
  • Procure conselhos externos sempre que isso for necessário.
  • Desenvolva um plano de sucessão empresarial.

Garantindo a sustentabilidade de um negócio familiar

Seria injusto exigir que os jovens empreendedores e membros da família começassem a administrar o negócio da família sem treinamento prévio. E é uma preparação que começa muito cedo. É importante que os herdeiros em questão sejam apresentados ao mundo do empreendedorismo muito antes de terem que assumir essa responsabilidade.

Esse treinamento também oferece a vantagem de detectar muito cedo os elementos que poderão tomar as rédeas do caso daqueles cuja participação será mínima (dependendo do interesse, comprometimento e aptidões de cada um).

Distribuição inteligente das funções

Transparência: é uma questão de não transformar a empresa em uma reunião familiar onde a diplomacia é usada de forma muito constante. Todos precisam ter tarefas e funções específicas pelos quais podem ser responsabilizados.

Distribuição inteligente: trata-se de identificar as habilidades, dons e competências uns dos outros e aproveitar da forma mais adequada e inteligente possível.

Liberdade de escolha

Elemento muito importante: não force os herdeiros a iniciar uma carreira que não lhes interessa. Aqueles que desejam deixar o navio devem permanecer livres para fazer a sua escolha sem qualquer forma de obrigação. No entanto, para garantir sua continuidade, um mínimo de motivação é, portanto, essencial.